Durante a intervenção na Suzantur, R$ 56 mil “desaparece”

Vereadores aderem a CPI: “ausência de R$ 56 mil registrada em BO é uma irresponsabilidade, é brincar com o dinheiro público” - Crédito: Marcos Escrivani

Publicado em 4/11/18, 10:53 PM

Durante a intervenção na Suzantur, R$ 56 mil “desaparece”

A novela transporte público, que tem como “atriz principal”, a Suzantur, teve mais um capítulo emocionante na tarde desta quarta-feira, 11, quando o secretário municipal da Fazenda Mário Antunes revelou que R$ 56 mil “sumiram” dos cofres de uma conta criada durante os dias de intervenção da Prefeitura Municipal na empresa de ônibus.

Falando à imprensa Antunes relatou que um grupo interventor liderado por Richard Jorge, indicado pela Prefeitura Municipal, foi o responsável pela arrecadação e pelas despesas da empresa durante o período. Uma vasta documentação foi repassada ao término da intervenção e após análise minuciosa, R$ 56 mil teriam “sumido”.

“Das duas uma: ou falta devolver ou terão que comprovar em despesa. Diante disso finalizamos o documento e fomos até a Polícia para elaborar um boletim de ocorrência. Abrimos uma sindicância e todos os documentos estão sendo revistos”, disse Antunes.

Segundo ele, o interventor tem colaborado na prestação de contas e busca a comprovação dos gastos. “Temos que ter transparência. Há cinco mil folhas na documentação que será encaminhada para a Câmara Municipal, para a juíza Gabriela Müller Carioba Attanasio e para a Promotoria Pública”, salientou o secretário. “Três pessoas manuseavam o dinheiro (Jorge, Ademir e Sandro) e todos serão questionados na semana que vem. Sentarão a mesa para comprovar o gasto ou devolver a quantia, que é proveniente das catracas e do Busfácil”, enfatizou Antunes.

NA CÂMARA

Na Câmara Municipal a CPI que apura possíveis irregularidades durante a intervenção da Prefeitura Municipal na Suzantur ganhou reforço dos vereadores Malabim, Roselei Françoso, Gustavo Pozzi, Sérgio Rocha e Cidinha do Oncológico. Anteriormente já tinham assinado o documento Lucão Fernandes, Laíde Simões e Marquinho Amaral (MDB), Julio César e Kiki DEM), Dimitri Sean (PDT - propositor) e Leandro Guerreiro (PSB).

“Não estamos encobertando nada. Apenas acreditávamos ser no início um movimento político. Mas agora há indícios de irregularidades e vamos assinar a CPI. O Roselei Françoso irá nos representar”, disse Gustavo Pozzi.

O vereador Roselei Françoso disse que a ausência de R$ 56 mil registrada em BO é uma irresponsabilidade, é brincar com o dinheiro público.

“A todo momento fomos favorável a CPI. Estávamos apenas aguardando a prestação de contas. Vamos trabalhar com seriedade e atenção e ouvir a todos e apurar as responsabilidades. Vamos investigar e pedimos a compreensão da sociedade. Queremos esclarecer para onde os recursos foram destinados. Temos a obrigação de verificar o que aconteceu e trazer a público todas as informações. Este processo foi tratado como uma brincadeira. Mas isso é muito sério e a CPI merece nosso apoio”, finalizou Roselei.

Comentários