Homem finge ser cliente para furtar carros de lojas em test drive no interior de SP

Como garantia para sair com veículos ele deixa carro furtado de outra loja. Foram registrados casos em Santa Rita do Passa Quatro, Leme e Jaú.

Publicado em 5/18/18, 11:20 PM

Homem finge ser cliente para furtar carros de lojas em test drive no interior de SP

Um homem ainda não identificado está se passando por cliente para furtar veículos de lojas quando vai fazer o test drive, no interior de São Paulo. Como garantia para sair com o carro ele deixa outro, que também foi furtado de outra loja.

A Polícia Civil investiga os casos registrados em Santa Rita do Passa Quatro, Leme e Jaú.

O rapaz, que aparenta ter cerca de 25 anos, já foi flagrado pelas câmeras de uma loja alvo da tentativa de golpe. Nas imagens, ele chega e até abraça o vendedor. “Estatura mediana, 1,70, bem magrinho, dentes salientes”, disse uma vítima, que preferiu não se identificar .

Carro furtado como garantia

Uma característica muito marcante é que o suspeito é bom de conversa. Ele chega em uma loja de carros usados mostra interesse por algum modelo, geralmente um veículo mais rodado, e pede para dar uma volta para testar. Contudo, ele desaparece.

O carro deixado como garantia nunca é dele, mas de outra loja de usados de outra cidade, que também foi vítima.

Na segunda-feira (14), ele esteve em uma loja de seminovos em Santa Rita do Passa Quatro e se interessou por um Peugeot preto de 2007. “Ele é automático, tem teto solar, banco de couro e houve um interesse dele pelo carro ser completo”, afirmou Fhilipe Missiato, sócio da loja de carros.

“A prática da gente é experimentar o veículo junto com o cliente e dessa vez a gente percebeu que ele era uma pessoa boa e não tinha nada a ver com malandragem e nós deixamos ele ir”, disse Fernando Missiato, também sócio da loja.

Ele saiu pra dar uma volta e sumiu. Como garantia, deixou na loja um carro que depois descobriam ser de uma revendedora de Jaú, a 172 quilômetros de Santa Rita.

O rapaz, que se apresentou como Reginaldo, dirigiu o carro até Porto Ferreira pra tentar fazer negócio em uma garagem.

“Ele foi na loja de um amigo meu tentar um Golf dele e com a mesma história, de experimentar que ele compraria à vista. Lá não deu certo porque não deixaram ele experimentar”, disse Fhilipe.

FONTE:G1

Comentários