PMs são suspeitos de falsificar flagrante de tráfico de drogas

Homem, que não teve a identidade revelada, afirma que porções de cocaína foram colocadas em carro após ele fugir de blitz; Polícia Civil investiga o caso

Publicado em 8/8/18, 10:06 PM

PMs são suspeitos de falsificar flagrante de tráfico de drogas

A Polícia Civil de Serrana abriu um inquérito para investigar se policiais militares teriam falsificado um flagrante contra um morador da cidade na terça-feira (7).  

À EPTV, o operador de máquinas que não teve a identidade revelada conta que havia tentado fugir da Polícia Militar porque estaria com a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) vencida. Os policiais foram atrás dele, que estava com outro homem no carro, e o motorista desistiu da fuga, sendo parado na zona rural da cidade.  

Após serem abordados, o homem afirma que os policiais os levaram para o canavial, ao invés da delegacia. Ele afirma ter ficado duas horas algemado dentro da viatura, enquanto mais policiais chegavam, e diz ter sido agredido. "Ele agrediu porque abordou a gente e tínhamos fugido. Ele comentou que ia ferrar a gente mesmo por ter fugido deles e ali mesmo eu fui agredido".  

A EPTV foi com o homem ao local onde as agressões teriam acontecido e ele descreveu alguns detalhes da ação."Chuparam cana, borrifaram o meu extintor de incêndio. Depois pegaram uma bolsa dentro do meu carro com tererês da minha filha e esvaziaram a bolsa. Iam utilizar a bolsinha e colocar os pinos de cocaína para dizer que essa droga era minha".  

Os homens foram depois levados para a delegacia, onde os policiais entregaram 60 pinos de cocaína e alguns gramas de maconha, que estariam com um dos detidos. Ele afirma que não usa ou trafica drogas.  

Investigação  

De acordo com o delegado José Augusto Franzini de Almeida, as suspeitas começaram após a história relatada pelo policiais. "Por hábito eu ouço tanto o policial como o averiguado. Eu ouvi o averiguado e ele me deu detalhes que poderiam ser checados".  

Após ouvir o preso, o delegado foi até ao local onde os policiais teriam mantido os rapazes e concluiu que "tudo comprovou que ele realmente esteve naquele local".  

Para o delegado, os policiais cometeram crimes. "Na minha opinião, caracteriza essencialmente pelo crime de cárcere privado e tortura". Na próxima semana, os policiais militares devem ser ouvidos. "Vai ser pedido o mapa do GPS das viaturas, nós vamos verificar qual foi a participação de cada um na ocorrência", afirma José de Almeida.  

O delegado também afirmou à EPTV que tem aumentado as denúncias de violência praticada por PMs na cidade. Entre os seis policiais que serão investigados pela Polícia Civil, um é acusado de tortura e homicídio e continua trabalhando normalmente nas ruas.  

"Quero deixar bem claro que eu acredito que esse fato seja um fato isolado na instituição da Polícia Militar, que é uma instituição que faz um trabalho essencial à segurança pública. Contudo, em Serrana, creio que já é um fato recorrente".  

Outro lado 

A EPTV entrou em contado com a Polícia Militar, mas até a publicação da reportagem não obteve resposta. (Com EPTV) 

Comentários